Xangri-Lá estuda implantação de um Surfódromo

Xangri-Lá estuda implantação de um Surfódromo

Projeto pretende fomentar o Turismo e geração de renda o ano todo.

O Município de Xangri-Lá está buscando novas alternativas para fomentar o turismo em diferentes épocas do ano, especialmente com relação a atividades esportivas. No início de agosto, o secretário municipal de Turismo e Meio Ambiente, Eduardo Jardim, acompanhado do técnico ambiental Estevão Schwambach, estiveram reunidos com o Diretor do Instituto Nacional de Pesquisa Hidráulicas, Domenico Accetta. A pauta principal do encontro foi a execução de um sonhado Surfódromo no município de Xangri-Lá. 
De acordo com o secretário de Turismo “a nossa região possui muitos atletas deste esporte e sempre buscam algo relacionado ao temo em nossas praias. Porém como não temos ondas capazes de promover grandes eventos, a solução seria fabricá-las e por isso estamos planejando a instalação do surfódromo, através de um sistema novo e revolucionário, já utilizado em diversos países e algumas cidades do Brasil”, disse Duda. 
Estevão disse que “a demanda pela execução deste projeto veem aumentando muito nos últimos tempos juntamente com a vontade social referente a construção do quebra mar artificial – SURFÓDROMO, o qual se tornaria um mecanismo de atração de turistas, agregando a comunidade local e aquecendo o mercado interno”, salientou.
O “Quebra-Mar”, consiste na instalação de paredes submersa no intuito de produzir ondas perfeitas e propícias para a prática do Surf e outros esportes. No entanto, para que o projeto seja executado com qualidade, são necessários alguns estudos de clima em diferentes épocas, já que nosso mar sofre com alta das marés na baixa temporada.
Para o município, a implantação de um surfódromo se tornará uma atração turística, pois será o primeiro do sul do Brasil. “Além disso, haverá a criação de novos polos de trabalhos gerados pelo próprio marketing do surf,  aquecendo o ramo hoteleiro, a infraestrutura de transportes e de  urbanização de Xangri-Lá, proporcionando a geração de renda da comunidade local, tendo como logística desenvolvimentista a  sustentabilidade, onde o empreendimento atuaria como elemento de integração  sistêmica no aspecto social (com a agregação da comunidade local  gerando emprego), político (com o favorecimento de políticas públicas  voltadas a atividade turística e de infraestrutura), econômico  (mercado de lojas de surfware, restaurantes, hotéis, etc...) e  ambiental (tendo como base a preservação e conservação do meio  ambiente local, baseados na Educação Ambiental da comunidade  Xangrilense).
Em resposta à visita do município no Instituto Nacional de Pesquisa Hidráulicas, a entidade apresentou uma proposta para implantação do sistema e, segundo o Instituto, os custos gerados seriam para cobrir apenas as despesas básicas do projeto.
Para o Prefeito, Cilon Rodrigues da Silveira, “este é, sem dúvida, um projeto inovador e deverá gerar renda e turismo em quase todos os meses do ano, já que o surf é muito praticado também na baixa temporada”. Concluiu. 
O projeto está em fase inicial e em alguns dias, mais novidades deverão ser divulgadas.



Por Everson Michel | Jornalista
Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Xangri-Lá

Procurando Imóvel na Praia? Veja nossas ofertas Aqui